Trabalhar é bom, eu gosto. Reclamo até que bem pouco, sabe? Mas no fundo, no fundo, eu queria mesmo era ser madame…

Não pra desperdiçar meus dias em salões de beleza e clínicas de estética (embora vez ou outra eu me pego pensando nisso), mas pra poder fazer o que me desse na telha, viajar só por prazer, conhecer o que o mundo tem de bom. Até mesmo ficar “presa” na Europa sem me preocupar se o vulcão já parou de soltar suas cinzas ou não.

Enquanto a mega sena não vem, vou brincando de ser madame assalariada. Ainda sem poder fazer tudo o que me dá na telha, mas se eu conseguir fugir das filas de banco, já está bom demais!