Depois de mudar de ideia umas quatro vezes – e em todas elas ignorar solenemente minhas opiniões -, marido escolheu nosso futuro carro.

Tudo começou quando ele cismou e me levou na concessionária, pra me convencer. Convencida e já felizinha, ele quis ver outro carro, bem diferente do primeiro. Resisti um pouco, mas ele entendeu blablablabla e seguiu nos testes e comparações. Ok, o carro 2 ganhou do carro 1 por n motivos: preço, itens de série, motor, consumo, etc… Me convenceu OUTRA VEZ. Você sossegou? Nem ele. Quis ver outro carro… Esse só ganhou no quesito preço (vamos tirar direto da fábrica com desconto de funcionário, amigo nosso que tá fazendo esse favorzão), porque nem na cor ele leva vantagem: é preto! E eu detesto carro preto, porque tá sempre sujo, nénão?

Meu primeiro carro era azul escuro e eu bem sei o que é isso… Mas enfim, marido adora carro preto e essa versão especifica não tem mesmo em outra cor, pra minha sorte absurda! hahahaha!

Mas enfim, foi esse o escolhido e agora vamos aguardar a chegada do bonitão. Pelo menos uma das minhas exigências foi atendida: câmbio automático, porque né… preguiiiiiiça de reaprender a trocar as marchas… rs…